categorias: Onde Ir, Restaurantes

O que há de imperdível no Paraíso Tropical?

Se eu disser que tudo é imperdível, serei obrigada a encerrar o post. Sendo assim, vamos por partes. O Paraíso Tropical está fora do centro da cidade e das rotas turísticas mais óbvias (Centro Histórico – Orla Marítima) e, ainda assim, é um dos estabelecimentos mais conhecidos da cidade. Isso significa que existe algo especial por lá, certo?

Culpada, Confesso - Paraíso Tropical -  Placa

O segredo está na personalidade do Chef Beto Pimentel – que passeia pelas mesas, conversando e contando “causos” para os clientes -, do restaurante aberto e arborizado em área residencial e do cardápio único, recheado de produtos cultivados na chácara ali ao lado.

Culpada, Confesso - Paraíso Tropical - Ambiente

Ah! E muitas opções de frutos do mar também, numa refeição que está sendo preparada há meses, sabe? Porque o chef acompanha muitos dos ingredientes desde o plantio, escolhendo o melhor momento de colheita e o ponto ideal pra uso.

Culpada, Confesso - Paraíso Tropical - Placa interna

Se a gente for reparar no espaço, ele tem três níveis. O atendimento, no entanto, costuma ser igual, esteja o cliente onde estiver.

Culpada, Confesso - Paraíso Tropical -  Andar superior

Nossa última visita ao paraíso aconteceu na companhia do casal de amigos, Enéas e Mariza, do Rio de Janeiro. Isso justifica, um pouco, a grande variedade de pratos nesse post, afinal, queríamos mostrar tudo que a gente gosta por lá. E a gente gosta de muita coisa… Primeiro, a casquinha de siri.

Culpada, Confesso - Paraíso Tropical -  Casquinha de Siri

Seguida da queridíssima casquinha de aratu. Sim, porque siri a gente até encontra com mais facilidade por aí, mas aratu… Todo mundo que curte uma boa casquinha deveria provar! As duas porções são acompanhadas de farofa e duas opções de molho de pimenta (o apimentado e o saboroso).

Culpada, Confesso - Paraíso Tropical -  Casquinha de Aratu

Pra fechar o ciclo das entradas, uma porção de siri-mole. Empanado e temperado, pra comer inteirinho. A Mariza, que nunca tinha experimentado o siri-mole preparado dessa forma, amou!

Culpada, Confesso - Paraíso Tropical -  Siri Mole

As opções de harmonização estão prontas para atender a todos os gostos. Nós ficamos com a água de coco.

Culpada, Confesso - Paraíso Tropical - Água de Coco

E eles escolheram a cerveja premium Therezópolis.

Culpada, Confesso - Paraíso Tropical - Cerveja Therezópolis

Aí, chegamos à etapa dos pratos principais. Iniciando com o leve Arroz de Nabucetê, composto de polvo, camarão, lagosta, arroz, lascas de coco verde, manga e brócolis.

Culpada, Confesso - Paraíso Tropical -  Arroz de Nabucetê

E encerrando com uma Moqueca de Camarão mais que especial. Porque tem dendê (o fruto, não o azeite), lascas de coco, pimenta e mais um tanto de coisas que eu não sei descrever, mas fazem um conjunto fantástico.

Culpada, Confesso - Paraíso Tropical -  Moqueca de Camarão

Ainda fazem companhia à moqueca: aipim cozido, farofa de dendê e arroz. Uma farra!

Culpada, Confesso - Paraíso Tropical -  Acompanhamentos

E o que poderia ser um suco, virou sobremesa. Traz um frozen de manga e coco, por favor.

Culpada, Confesso - Paraíso Tropical - Frozen

Aqui, já estávamos satisfeitos, mas o restaurante oferece, ao final das refeições, uma cesta de frutas tropicais. Pode comer lá mesmo e/ou pode levar pra casa. Dentro da cesta, sempre tem um docinho de banana delicioso, enrolado na palha da bananeira.

Culpada, Confesso - Paraíso Tropical -  Frutas

Neste ponto, bem felizes, encerramos a comilança com um café. A conta ficou por, aproximadamente, R$110 por pessoa.

Culpada, Confesso - Paraíso Tropical - Café Expresso

Acho que o Paraíso Tropical, como um todo, é realmente imperdível.

Restaurante Paraíso Tropical

Rua Edgar Loureiro, nº 98B – Cabula – Salvador/BA

Telefone: (71) 3384-7464

www.restauranteparaisotropical.com.br