categorias: Outras confissões

Mesa ao Vivo Bahia: como foi?

No início dessa semana, participei do Mesa Ao Vivo Bahia. Foram 03 dias muito interessantes e eu aprendi um montão de coisas. O evento é promovido pela revista Prazeres da Mesa desde 2004 em São Paulo e já teve edições realizadas em outros estados brasileiros, como o Ceará e Pernambuco. Esta foi a primeira edição baiana e eu tinha grandes expectativas.

Mesa Ao Vivo Bahia

No entanto, confesso que perdi parte do interesse durante o processo de inscrição. Passei por inúmeras dificuldades no SENAC Pelourinho até conseguir efetivar a minha matrícula: falta de informação, erro no sistema, horas de espera, equipamentos com defeito, voltar no dia seguinte… Aff! Quase desisti. Ainda bem que, durante o evento, tudo foi diferente.

Culpada, Confesso - Mesa ao vivo - Primeiro Dia

Com o tema “Do coco ao dendê: traços de nossas origens”, o Mesa ao Vivo Bahia – realizado no SENAC Casa do Comércio (Av. Tancredo Neves) – abriu espaço para que diversos profissionais falassem sobre a gastronomia baiana e seus diversos aspectos: representatividade, ingredientes, técnicas, trajetórias de chefs, tradição e inovação. O debate se estendeu da sala master (auditório principal) às cozinhas menores (para até 30 alunos), onde os visitantes tiveram a oportunidade de trocar experiências com chefs renomados. Todas as atividades foram registradas e farão parte de uma edição especial da revista.

Culpada, Confesso - Mesa ao Vivo Bahia - Telão

Me inscrevi, principalmente, nas apresentações feitas na cozinha master, onde pude assistir aos chefs Edinho Engel, Flávia Quaresma, Tereza Paim, João Carlos Silva e Beto Pimentel. Cada fala trouxe uma abordagem diferente sobre o cenário gastronômico atual e, pra mim, ficaram algumas questões. Sem querer ser muito acadêmica (mas já sendo), acredito que não seja tão fácil respondê-las completamente. Ou talvez o objetivo seja mesmo a reflexão constante sobre elas. Vocês já pensaram:

  • Quais são os pratos baianos de maior destaque no cenário nacional? Eles representam todo o estado ou somente a Região Metropolitana de Salvador e o Recôncavo?
  • Até que ponto a inovação de pratos tradicionais pode ir? Qual a importância do respeito e/ou manutenção da tradição?
  • Porque os preparos do nosso dia a dia não tem tanto destaque nos grandes restaurantes?
  • Será que valorizamos e conhecemos devidamente os nossos ingredientes?

Pra mim, ficarão muito marcadas as falas do Chef (ou cozinhador, como ele prefere ser chamado) João Carlos Silva, de São Tomé e Príncipe – que ressaltou as semelhanças no uso dos ingredientes e quer promover maior intercâmbio com a Bahia – e do Chef Beto Pimentel, que domina o preparo de inúmeros frutos e combinações desconhecidas pela maioria das pessoas. Repara aí nas fotos os óleos que ele preparou pra gente experimentar, como possíveis substitutos do azeite de dendê.

Culpada, Confesso - Mesa ao vivo - Óleos Chef Beto Pimentel

Ah! Teve receita e dicas culinárias também, viu? Eu não falei sobre isso, mas vou postar aqui as receitas que recebi. Começamos com o Camarão com Molho de Mangaba e Arroz de Coco Verde, da Chef Tereza Paim. Não pude experimentar, mas o cheiro era incrível! Vamos lá:

Foto: Instagram Prazeres da Mesa (http://instagram.com/p/mTY_nnCuLX/)

Foto: Instagram Prazeres da Mesa (http://instagram.com/p/mTY_nnCuLX/)

Ingredientes (04 porções)

1 – Arroz

  • 200 g de arroz agulhinha;
  • 2 dentes de alho;
  • 1 cebola pequena picadinha;
  • 3 colheres de sopa de azeite;
  • 200 ml de água de coco;
  • 100 ml de caldo de legumes;
  • Carne tenra de 02 cocos verdes picadinha

2 – Molho

  • 500 ml de polpa de mangaba;
  • 200 ml de caldo de peixe ou camarão;
  • 30 g de camarão seco sem cabeça;
  • 60 ml de leite de coco fresco;
  • 30 ml de vinho branco seco;
  • 1 colher de chá de açúcar;
  • 2 colheres de chá de sal;
  • 1 colher de sopa de pimenta rosa;

3 – Camarão

  • 4 filés de camarão 21-25 (com rabinho);
  • 50 g de gengibre picadinha
  • Sal
  • Pimenta branca à gosto

Modo de Preparo

Arroz: Doure a cebola, o alho e o arroz. Adicione a água de coco e o caldo de legumes fervendo. Deixe cozinhar e finalize com carne de coco verde picadinha.

Molho: Misture tudo no liquidificador e leve ao foto em banho maria por 30 minutos. Finalize com as pimentas rosas.

Camarão: Tempere e doure os camarões com o gengibre em um fio de azeite.

Montagem: Coloque os camarões enfileirados e ao lado o molho fazendo um desenho no prato. Coloque um ramo de coentro e lascas de coco verde.

 

No fim, gostei muito e espero que tenhamos outras edições por aqui.

www.prazeresdamesa.com.br

Deixe seu comentário