categorias: Onde Ir

Mercado Central de Santiago: entre intempéries e frutos do mar

Chegamos ao nosso 5º dia em Santiago e fomos conhecer o Mercado Central. Sempre gosto de ir aos mercados, ver os produtos e a dinâmica local, mas devo dizer que o de Santiago me incomodou um pouco. Me senti disputada, como em um cabo de guerra, como se fosse a última cliente do mundo.Não conseguia ver o mercado e seu funcionamento devido à quantidade de garçons a oferecer mesas a cada 2 passos. Minha estratégia em determinado momento foi a mesma utilizada quando aqueles funcionários de grandes magazines oferecem para você fazer o cartão cartão da loja.  De nada adianta vc dizer que não tem interesse. Eles continuam oferecendo e enchendo sua paciência.Essa eu aprendi com uma amiga. O diálogo é assim:

Vendedora: A Sra possui cartão “X”? Gostaria de fazer um cartão conosco e ter uma série de vantagens?
Você: Obrigada, já tenho.
Ponto final! Você não será mais incomodado. Comecei a fazer no mercado, só que a frase era: “no gracias, já almocei”. Em grau menor, mas também chatos são os agentes de viagem que tentam vender passeios. Enfim, a minha estadia foi reduzida por essas intempéries.
O prato mais famoso do mercado central é a centoulla. Vocês poderão vê-las expostas por todo o lado. Há centoullas de vários tamanhos e preços.
Culpada Confesso - Carol Marques - Chile - Santiago - Mercado Central - Centoullas
Para se ter uma ideia, a menor custa cerca de 200 reais. Acho que pode valer a pena quando se está em um número maior de pessoas. Para apenas duas pessoas achamos caro e procuramos outro lugar para almoçar. Passamos por um corredor onde se podia comprar mariscos e olha só o que encontrei:
Culpada Confesso - Carol Marques - Chile - Santiago - Mercado Central
Não provei nenhum desses e nunca tinha visto frutos do mar tão estranhos. Seguimos a dica de um blog na internet e chegamos ao restaurante “Mares del Chile”. Está longe de ser turístico, mas os preços são bem mais em conta do que os famosos El Galeon e Donde Augusto.
Culpada Confesso - Carol Marques - Chile - Santiago - Mercado Central - Marisqueria Mares de Chile
Aproveitei a oportunidade para provar a congrio, peixe encontrado na águas do Chile.
Culpada Confesso - Carol Marques - Chile - Santiago - Mercado Central - Congrio
Escolhi uma preparação na chapa. É um peixe branco, muito tenro, sem espinhas e bem temperado. Como acompanhamento escolhi o purê de batatas.Só para vocês entenderem, aqui o esquema em muitos locais é o seguinte: você escolhe a carne/peixe e 1 acompanhamento (purê de batata, arroz, batatas fritas ou salada). As porções são muito generosas e por diversas vezes deixamos comida no prato.  Para se ter uma ideia, pedimos num outro dia pollo (frango) e era praticamente meio galeto. Isso para apenas 1 pessoa. Depois disso fomos conhecer a 3ª e última casa de Pablo Neruda: La Chascona.
Culpada Confesso - Carol Marques - Chile - Santiago - Casa Neruda - La Chascona
Também nessa casa não é possível fotografar, mas as casas de Neruda são tão marcantes que ficarão na memória sempre sem precisar de registro fotográfico.
O dia hoje foi curto, pois tínhamos que voltar para casa. Fizemos reserva em um dos restaurantes mais badalados de Santiago, ops, do Chile, melhor, da América Latina. Rs
É só esperar o próximo post.
Até a próxima!

Deixe seu comentário