categorias: Bares, Onde Ir

Dois Botecos, Um Post: Bar do Luiz e Navona

Sexta-feira, um feriadão e eu tentando recuperar os petiscos e posts perdidos das duas primeiras semanas. Ô trabalhinho difícil viu?! Prometi escrever sobre todos os botecos que fui como retratação pelo ano passado e embora não tenha ido a tantos botecos como no ano passado, os posts começaram a acumular.

Para não ficar com saldo negativo, e eu sou uma boa pagadora, resolvi juntar dois botecos em um post. Hehehehe

Vamos ao primeiro: Bar do Luiz

Aproveitei o feriado para combinar com 2 ex-coleguinhas de trabalho workaholics, para ir ao boteco. O objetivo era tirá-las do trabalho em plena sexta-feira de feriadão em uma semana anterior ao mega evento que elas estavam produzindo.

Resultado? Tomei bolo.

Tudo bem que eu já considerava essa possibilidade das furonas e, por isso, a gente tem na manga o plano B. O Bar do Luiz fica em frente ao prédio da chefe das duas, que também é minha amiga. Essa, pelo menos, eu sabia que não ia dar bolo, pois era só pegar o elevador e atravessar a rua. Até tentamos ameaçar as duas com o risco da demissão, justificando que o cérebro precisa de descanso, mas ainda assim não deu certo.

Mas, vamos ao bar. Boteco de bairro, o ponto forte do Luiz é churrasco. Picanha, frango, coração, calabresa, tudo feito na hora. As mesas são cobertas com aquele plástico amarelo para facilitar a limpeza, bem botecão mesmo. Rs

Culpada Confesso - Carol Marques - Culpada Confesso - Bar do Luiz

O petisco Doritos me pareceu sem graça, um caldo de alguma coisa que não lembro mais de tão comum, então atacamos de coração com farofinha e salada.

Culpada Confesso - Carol Marques - Culpada Confesso - Bar do Luiz - Coração

Boteco de bairro tem umas coisas engraçadas, ele consegue misturar pessoas de vários tipos, exemplo: casal jovem com os sogros idosos, grupos de estudantes universitários, de idosos, senhoras elegantes com maridos de bermuda e chinelo, com blusas de lantejoula, com trajes de noite… e por aí vai. (devia ter tirado uma foto, mas seria um pouco indelicado e contra a privacidade das pessoas).

Tudo bem, o blog também não fala de moda e cada um vai do jeito que quiser para seu boteco, então vamos ao petisco:

Culpada Confesso - Carol Marques - Culpada Confesso - Bar do Luiz - Petisco Doritos

Frango assado, coberto com queijo coalho e acompanhado de salada vinagrete, couve refogada e farofa.

Viu alguma novidade? Nem eu. O frango estava bem temperado, saboroso, mas não tem nenhuma surpresa, nenhuma inovação. É uma quantidade boa para petiscar entre duas pessoas e … não tenho mais nada para falar sobre ele.

O atendimento é bom, mas os garçons não fazem nenhuma questão de divulgar o festival. Não oferecem o petisco, o drink, enfim, o Comida di Buteco não alterou em nada a rotina deles. Vale a pena ir? Hum… se você estiver perdido no Costa Azul ou morar por aquelas bandas e estiver procurando um lugar para almoçar ou tomar uma cervejinha no happy hour sem nenhuma supresa, pode ser, mas já está avisado: não crie expectativas.

O segundo boteco é o Navona. Fui no domingo, antes do Boteco do Pirí, aquele que antecipei o post pelo fato de ter sido o melhor petisco. Depois do Pirí escrever sobre os outros pratos fica meio chato, mas vamos lá.

Culpada Confesso - Carol Marques - Culpada Confesso - Navona

Ele fica na Pituba, próximo ao restaurante Skilo, ao bar Sal Marinho, da Pizzaria Tempero D’Itália (fazendo divulgação gratuita da pizzaria do amigo – mas a pizza é boa e barata. Rs)

O bar é agradável, tem mesinhas na rua e passa jogos de futebol para quem gosta de sofrer com seu time de futebol.

Culpada Confesso - Carol Marques - Culpada Confesso - Navona - Ambiente Interno

O atendimento é bom, a cerveja é gelada (podia ser melhor), e o petisco também não inova.

Para o nordestino, carne seca desfiada com purê de abóbora não tem nenhuma novidade.

Culpada Confesso - Carol Marques - Culpada Confesso - Navona - Petisco

Você pensou a mesma coisa ao ver o prato, mas eu pergunto: em que boteco você vê carne seca com purê de abóbora?

Nesse momento você está fazendo um background na sua memória e não conseguiu achar, acertei? Não, eu não leio mentes. Você encontra escondidinhos de fumeiro, carne do sol, calabresa, mas não acha nada com purê de abóbora. Bem, a inovação acabou por aí, se é que podemos chamar o fato de oferecer num bar um petisco típico, mas fora dos cardápios de boteco, de inovação. Aproveito para alertar ao bar que esquentar comida no micro-ondas não agrega valor ao petisco. No ano passado eles fizeram a mesma coisa. Comida requentada não é legal, ainda mais quando o petisco não é novidade.

Antes de encerrar o post, deixa eu falar do drink da Skyy: Trocando as pernas. Achei o nome divertido e com  a quantidade de vodka que tinha no meu drink quase conseguiram. Hahahahaha

É gostoso. Eles não revelam os ingredientes. Apenas informam que tem limão, leite condensado e mais umas coisinhas que não descobri quais são, mas tem um toque refrescante.

Culpada Confesso - Carol Marques - Culpada Confesso - Navona - Drink Skyy

Bem, é por aí. Não consegui ir a tantos botecos como no ano passado. Fico devendo meu último boteco e as considerações gerais sobre o festival, petiscos, cervejas…. e tudo mais relacionado a buteco.

Inté!

Dados Técnicos:

Bar: Bar do Luiz

Endereço: Rua Lourival Pimenta Basto, 467

Telefone: (71) 3342-4450

Petisco: Frango encapado com queijo coalho acompanhado de farofa de banana e couve.

Valor:  Petisco Concorrente: R$ 19,00

 

Bar: Navona Bar do Tonho

Endereço: Rua Território do Rio Branco, 125 – Pituba

Telefone: (71) 3340-4450

Petisco: Escondidinho de charque desfiada e refogada na manteiga de garrafa com manjericão, coberto com purê de abóbora e queijo coalho

Valor:   Petisco Concorrente: R$ 25,00

     Drink Skyy: R$ 8,00

Deixe seu comentário