categorias: Onde Ir, Restaurantes

Degustação Orientada de Cervejas Especiais no Carro de Boi

Na tarde de sábado fui convidada por Amelí, a autora desse blog, a participar de uma degustação de cervejas no restaurante Carro de Boi. Missão dada é missão cumprida e lá fui eu fazer algo que eu nem gosto: degustar cerveja. =)

Culpada Confesso - Carro de Boi - Fachada

O mundo das cervejas gourmet não é tão novo assim para mim. Em 2011, participei da Conferência Estadual de Cultura, em Vitória da Conquista, e descobri um bar chamado “Café Society”. Guardem esse nome, caros leitores, pois se um dia forem ou retornarem à cidade não deixem de conhecer. Foi lá que descobri que um músico, apaixonado por cervejas resolveu abrir um bar dedicado aos dois temas. O bar é uma graça e merece a visita.

Mas antes de começar a falar sobre o tema proposto fica um alerta: depois de descobrir desse “novo mundo” não há como voltar atrás. E num olhar mais atento você vai perceber que as cervejas gourmet ou artesanais vieram para ficar. Nos últimos anos o interesse do brasileiro sobre o tema tem crescido e isso pode ser comprovado pelas inúmeras microcervejarias que são abertas em todo o país. E não para por aí, as grandes cervejarias também já verificaram que esse negócio tem futuro e estão comprando cervejarias menores além de produzir linhas próprias, a exemplo da Cervejaria Bohemia que já apresenta versões com Jabuticaba, Erva-Mate, Pimenta Rosa, além das já conhecidas Bohemia Weiss, Confraria, dentre outras.

E se antes você podia reclamar que essas cervejas eram difíceis de achar, agora você já pode encontrar uma boa variedade de estilos em lojas especializadas, quiosques em shoppings, supermercados, sites e restaurantes locais. Sim, restaurantes locais! E é justamente por isso que estou aqui escrevendo esse texto.

Como havia dito lá em cima, no início desse texto, o restaurante Carro de Boi chamou o blog para uma degustação guiada da sua nova carta de cervejas. Esqueçam as Skols, Schins e Brahmas da vida, pois hoje vamos falar de Cerveja com C de Cevada e não com M de Milho.

Foto: W/Brasil para Nobel (2008)

Foto: W/Brasil para Nobel (2008)

Caro(a) leitor (a), vou contar um segredo: as cervejas que a gente tem por hábito beber têm em sua composição 45% de milho. Assustados? Para piorar, milho transgênico. Ok, não morri até hoje devido ao consumo de milho transgênico nas tardes quentes de verão e com certeza não substituirei a velha Skol por uma Bock na praia, mas é sempre bom se informar, né?

Mas vamos lá, fui recepcionada por Vinício Carvalho, gerente do restaurante e sommelier de cerveja que ajudou a criar o maravilhoso cardápio de cervejas do Carro de Boi. Maravilhoso, pelo nível de informação que ele apresenta. Não conhece nada do universo cervejeiro? Não se preocupe! O cardápio é informativo e apresenta os estilos de cerveja, processo de fermentação, copo ideal para cada tipo, cor, temperatura e harmonização com os pratos do cardápio.

Culpada Confesso - Carol Marques - Carro de Boi - Cardápio Cervejas Especiais

Nunca tinha dado tanta importância à harmonização, mas agora eu realmente entendi como a coisa funciona. Não pretendo aqui me transformar em uma sommelier, pelo contrário, me dá uma preguiça ter que estudar tanto para aprender todas as técnicas. Acho ótimo que alguém se dedique ao tema e já traga tudo mastigadinho para nós, assim, a gente já parte ao que me interessa: o harmonizar.

Bem, no evento tivemos a oportunidade de experimentar 6 diferentes tipos de cerveja harmonizados com pratos oferecidos pelo restaurante.

Culpada Confesso - Carol Marques - Carro de Boi - Menu harmonização

Na nossa primeira harmonização começamos com uma cerveja belga, a Vedett e bolinho de bacalhau.

Culpada Confesso - Carol Marques - Carro de Boi - Vedett e Bolinho de bacalhau

Embora seja uma consumidora de cervejas gourmet, não estou aqui para enganar ninguém: meu conhecimento técnico é bem pequeno, então fui na internet buscar informações sobre a dita cuja.

Como toda a witbier clássica, as notas cítricas e fenólicas vêm das adições de casca de laranja e coentro no momento da fervura. Nesta, em especial, o coentro está em evidência juntamente com o floral do lúpulo, nos passando uma incrível sensação próxima a de um chá verde. Em segundo plano, os aromas dos cerais não maltados com fermento nos remetem à massa de pão fermentando. Possui uma boa acidez seguida do amargor leve e agradável (Descrição da cerveja retirada do site: Cerveja Store).

A casca de laranja, que é cítrica, e o coentro combinam perfeitamente com bolinho de bacalhau. É uma combinação leve e alguém na mesa chegou a comentar (e eu concordo) que a cerveja dá o toque que o limão daria no bolinho. Resultado: Aprovado!

Em seguida passamos para uma cerveja com sabor mais acentuado, com aroma frutado de banana não muito intenso, seguido de cravo. Quanto ao sabor é uma cerveja predominantemente maltado, de baixo amargor, que no final apresenta um leve sabor de caramelo. Estamos falando da alemã Benediktiner Weissbier Dunkel que veio acompanhada de um escondidinho de abóbora com pedacinhos de fumeiro. O leve amargor da cerveja contrastou com a doçura do purê de abóbora e o toque defumado do fumeiro.

Culpada Confesso - Carol Marques - Carro de Boi - Benetikidiner e escondidinho de abóbora com carne de fumeiro

Seguimos por uma Bamberg Altbier acompanhada de Bode do Sol com farofa d’água, e abre parêntese: a carne de bode estava com uma textura tão macia que desmanchava na boca. Quero retornar só para repetir essa maravilha da culinária nordestina.

Culpada Confesso - Carol Marques - Carro de Boi - Bode do Sol

No nosso quarto passo fomos de Bamberg Rauchbier, que leva malte defumado na sua composição. No retrogosto, as notas de fumaças são dominantes e, por isso mesmo, combina maravilhosamente com o bolinho de feijoada.

Culpada Confesso - Carol Marques - Carro de Boi - Bamberg e bolinho de feijoada

E para fechar a nossa degustação bebemos uma Liefmans Fruitesse. É um tipo de cerveja espumante, de cor vermelha e sabor intenso de morangos, framboesa, cerejas, sabugueiro e mirtilos, de acordo com o blog de onde tirei a descrição. Na minha humilde opinião parece um suco de groselha com água com gás. Rs

Embora seja cerveja, está fora do meu conceito de cerveja. Por outro lado, pensando na harmonização, casou muito bem com os doces da Pin-Up doceria: Mini cupcake de brigadeiro branco e frutas vermelhas e o mini cupcake de cerveja com nibs de cacau da Maltez Chocolate fino.

Culpada Confesso - Carol Marques - Carro de Boi - Liefmans e cupcakes

Mais cedo, quando eu cheguei, o Renato, da Maltez me explicou como é o processo de fabricação do chocolate fino e do nibs de cacau e fiquei muito feliz de ver que a Bahia produz chocolate de qualidade e não apenas exporta o cacau e recebe de volta um produto industrializado e hidrogenado. Ganhei de presente uma barra do chocolate produzido na região de ilhéus e pude comprovar a excelência do produto.

Pois bem, deu para ver que foi um dia bastante agradável, sabores marcantes e bem didático. Retornarei em breve para comer a carne de bode e degustar mais umas cervejinhas gourmets. E se você ainda não entrou nessa nova onda, o Carro de Boi com seu menu de cervejas é um bom lugar para começar a desvendar os segredos cervejeiros. #FicaaDica

Inté a próxima!

Restaurante Carro de Boi
Rua Dom Eugênio Sales, 23 – Boca do Rio
Telefone (71) 3461-3110
www.carrodeboirestaurante.com.br

Vinício Carvalho – Sommelier de Cervejas
E-mail: viniciocarvalhosommelier@gmail.com
facebook.com/viniciocarvalhosommelier

Deixe seu comentário