categorias: Bares, Onde Ir

Comida di Buteco no Tampinha: Expectativa X Realidade

Olá Comunidade Butequeira!
Sequencialmente esse não era o post do momento, mas resolvi adiantar como alerta para os butequeiros de plantão.
Após a minha ida ao Zanzibar, sobre o qual falarei em post específico, resolvemos ir ao Tampinha, visto que o bar também fica na Federação.
Minha irmã, saudosista, lembrava da sua época de estudante, quando na década de 90 ia com as amigas de faculdade butecar após a aula. Fazia muito tempo que eu também não ia ao Tampinha. O boteco também fez parte de boas lembranças da época de faculdade. Obs: Não tão longínqua quanto a época de minha irmã. Rs

Chegamos no Tampinha por volta das 21h. A entrada é estreita, mas ao adentrar no recinto abre-se um grande salão.

Culpada Confesso - Comida di Buteco 2015 - Carol Marques - Tampinha

Logo ao entrar fomos surpreendidas por um coral desafinado num pequeno palco. Por alguns instantes achamos que se tratava de um karaokê, mas logo depois descobrimos que era uma “pequena invasão” de 3 jovens que foram rapidamente substituídos por um cantor de forró na pegada pé de serra. O ritmo até levantou alguns casais que, por sua vez, arriscaram uns passinhos.

Culpada Confesso - Comida di Buteco 2015 - Carol Marques - Tampinha - Palco

No finalzinho do show o artista resolveu mostrar toda sua diversidade musical e, de repente, eu já estava ouvindo de Djavan à Pablo. Tem quem goste, o que não é o meu caso, mas de todo modo o que realmente incomodou foi o barulho das pessoas que gritavam. Isso mesmo, as pessoas não conseguiam conversar em um tom de voz normal, o que acaba gerando um efeito em cadeia, pois se quiser manter uma comunicação com quem está na mesa, deve-se falar mais alto do que o barulho do ambiente e aí já viu né?

 

Petisco concorrente

Com esse barulho todo resolvemos ir direto ao nosso petisco.

Vejam a foto e me respondam: Precisa dizer mais alguma coisa?

Culpada Confesso - Comida di Buteco 2015 - Carol Marques - Petisco concorrente

Precisa sim. 4 bifes de frango empanados com uma gororoba no meio feita de abacaxi, uva e morango (não sei se também tinha maçã).

Eu fico me perguntando porque um o bar se compromete a participar de um concurso culinário para concorrer com um petisco tão ruim e tão longe da proposta do festival. Arrisco a dizer que esse foi um dos piores petiscos que comi em um buteco e, efetivamente, o pior de todos os festivais que participei. Compreendo que sempre há opiniões diversas sobre um petisco, mas tenho certeza que este será uma unanimidade. Se houvesse votação contrária, a do pior petisco, ele ganharia disparado.

Vale ressaltar que não provamos nenhum outro petisco do cardápio, pois já estávamos empanzinadas após o Zanzibar e não sabemos se esse foi um erro isolado. A lembrança que tinha do Tampinha sempre foi de comida boa, farta e preço camarada. Se alguém tiver alguma opinião diferente sinta-se à vontade para falar, por favor! Quem sabe assim eu volte e desfaça essa má impressão.

Outras considerações

O atendimento não foi legal. Os garçons são confusos e em nenhum momento ofereceram o petisco do Comida di Buteco. Quanto a cerveja, quando chegamos não tinha mais Bavaria Premium, então ficamos com a Heineken que não estava bem gelada.

Enfim, foi tanta decepção que só restou pedir a conta, sair o mais rápido possível e compartilhar essa experiência com vocês para que evitem o que pra mim foi um equívoco culinário.

Tampinha
Endereço: Rua Caetano Moura, 34 – Federação
Telefone: (71) 3235-0196 / (71) 3332-4202
Valor do petisco concorrente: R$ 20,00
Cerveja Heineken: R$ 8,00
Couvert Artístico: R$ 3,00