categorias: Onde Ir, Restaurantes

Cantina do Conchetta: como manda a tradição!

Grandes metrópoles geralmente apresentam uma variedade gastronômica resultante de diversos fluxos migratórios que tornam essas cidades uma verdadeira miscelânea cultural. A cidade de São Paulo não é diferente, estima-se que ela seja a terceira maior cidade italiana do mundo, a maior cidade japonesa fora do Japão, a terceira maior cidade libanesa fora do Líbano, a maior cidade portuguesa fora de Portugal e a maior cidade espanhola fora da Espanha. E assim como em outras cidades do mundo, esses imigrantes tendem a se juntar em um bairro, onde constroem um pequeno mundinho com traços culturais bastante acentuados.

No capítulo de hoje falaremos do Bixiga, bairro mais italiano de São Paulo, onde você ouve italianos nas ruas e pensa que está na Itália. Também é lá que você encontrará a maior concentração de cantinas por metro quadrado. Rs A influência da culinária italiana é tão forte que estima-se que existam mais de 6.000 pizzarias na cidade. O bairro também é local de uma das maiores e mais tradicionais festas de São Paulo: a Festa de Nossa Senhora Achiropita, que acontece durante os fins de semana de agosto, desde 1926, em homenagem à santa de mesmo nome.

Uni,Duni, Tê, e a escolhida foi a Cantina do Conchetta

culpada-confesso-carol-marques-cantina-do-conchetta-cardapio

São tantas as opções de cantinas que a gente fica se questionando se tomou a melhor decisão.

A cantina do Conchetta é uma das mais tradicionais do Bixiga e é um dos estabelecimentos de Walter Taverna, neto de sicilianos, uma daquelas figuras emblemáticas cuja história se confunde com a do bairro do Bixiga. Fundador da Sociedade de Defesa das Tradições e Progresso da Bela Vista, esse descendente de italianos fez fama por suas invenções inusitadas, como um bolo de 1,5 km para o aniversário da cidade, a maior pizza (554m de comprimento) e o maior sanduíche (600m), invenções que foram parar no livro dos recordes, o Guinness Book.

Para saber um pouco mais sobre essa peça museológica do Bexiga: http://www.centrodememoriadobixiga.org/?page_id=8

O espaço é simples. Há no teto um grande varal com algumas referências italianas (e outras nem tanto, como os aventais de produtos alimentícios) que se misturam a fotos antigas do bairro.

culpada-confesso-carol-marques-cantina-do-conchetta-decoracao

culpada-confesso-carol-marques-cantina-do-conchetta-detalhes

Um senhor cantava músicas italianas em um órgão, enquanto pedíamos uma cerveja Serra Malte e escolhíamos no cardápio o nosso menu. A cerveja demorou um pouco e após reclamarmos, o garçom trouxe a cerveja e nos ofereceu gratuitamente um couvert com pães italianos e 3 antepastos: alho, sardela e alichela. Cantina tradicional merece um pão tradicional e o deles é de uma padaria centenária chamada Basilicata, que fica bem próxima ao restaurante. Os antepastos de sardela e alichela estavam ótimos, só não gostei muito do de alho, que levava muita maionese.

culpada-confesso-carol-marques-cantina-do-conchetta-couvert

Prato Principal

A casa oferece um rodízio de massas, mas preferimos pedir à la carte o Fettuccine à Putanesca. Eramos 3 pessoas, mas o nosso amigo já havia almoçado e a opção à la carte parecia mais vantajosa. O rodízio custava em torno de R$ 65 reais por pessoa, enquanto as massas custavam em média 85 reais.

culpada-confesso-carol-marques-cantina-do-conchetta-fettuccine-a-putanesca

A Putanesca, como nos explicou o garçom, é um dos molhos mais fortes do cardápio. A receita leva anchovas, azeitonas pretas, alcaparras, manjericão e molho de tomate. Escolhemos este por ser um molho marcante e tipicamente italiano. Não nos arrependemos, estava realmente muito bom.

Quantidade

De acordo com o garçom o prato serviria até 3 pessoas, mas na verdade ele serve muito bem 4 pessoas. Esqueci de tirar a foto do prato quando ele chegou à mesa. Essa foto foi tirada depois que eu e minha irmã fomos servidas e mesmo assim dá para observar que ainda tem muita massa, pois a travessa é um pouco funda (o que não aparenta na foto).

culpada-confesso-carol-marques-cantina-do-conchetta-refratario-fettuccine-a-putanesca

Para se ter uma ideia, levamos para casa e ainda jantamos eu, minhas duas irmãs e meu cunhado (pratinhos de sobremesa, é claro.rs)

Tradição

Seu Walter é uma pessoa um pouco “barulhenta”, gosta de jogar bandeja no chão, bater tampa de panela, tudo como manda a tradição dos italianos das Cecílias que não tinham instrumentos e por isso marcavam a “Tarantella” com as tampas.

Logo na porta, não deixe de anunciar a sua chegada tocando o sino e fazendo barulho como manda a tradição do Conchetta.

culpada-confesso-carol-marques-cantina-do-conchetta-sino

Em breve mais notícias italianas de São Paulo…

Couvert: R$ 7,00
Cerveja: R$ 16,00
Fettuccine à Putanesca R$ 82,00

 

Cantina do Conchetta
Rua Treze de Maio, nº 560 – Bixiga – São Paulo/SP
Telefone: (11) 2894-7869
http://conchetta.com.br/

Deixe seu comentário