categorias: Produtos

Alguma coisa de manga e Prosecco Zonin

Bons dias e bons vinhos.

Final de semana. Feriadão. E eu curtindo a família resolvi fazer uma sobremesa especial e fui buscar na memória uma que fiz há muito tempo e errei feio – crumble de frutas.

É bem verdade que nunca faço uma receita como manda o figurino, nem pela primeira vez. Dessa vez não foi diferente. Tanto faz se a receita foi captada na internet, ou nas revistas, gentilmente oferecida ou roubada. Sim! Tem receitas roubadas! E é por isso que as minhas, secretas, são guardadas a sete chaves, criptografadas, em arquivos ocultos e deletadas sistematicamente, visto que sempre me esqueço das senhas, códigos e locais de arquivamento. Enfim! Tenho que confiar na memória.

Acontece que do crumble só me lembrava dos detalhes. Do que acrescentei, modifiquei ou adaptei. Então fui pesquisar. No Google, claro, o universal substituto do Tesouro da Juventude, Barsa, Britânica, Helena Sangirardi, Dona Benta, etc. tudo junto e na ponta do dedo.

Achei zilhões de receitas e fui montando a minha que acabou não sendo um crumble, porque, segundo o mesmo Google, crumble é uma torta invertida (fruta embaixo e massa em cima). Pra mim ficou algo parecendo o bolo cuca da minha amiga Ana Lima, só que ela faz de banana e eu fiz de manga. E servi com sorvete, do que tinha, chocolate pra uns e cajá pra outros.

Torta Cuca de Manga – Produção e Fotografia de Laura Queiroz

 

Trigo, açúcar, manteiga (daquela pura de leite), manga rosa, e o toque que faz toda a diferença – amêndoas, laranja, gengibre, açafrão, uma pitada de sal pra realçar o gosto e uma lembrança de vinho. Nesses tempos bicudos, não comprei o vinho que queria – branco, seco, frutado.

Pra acompanhar o salmão ao molho de tamarindo e minha sobremesa experimente o Prosecco Zonin, Brüt, Special Cuvée.

O Prosecco é a versão italiana do champagne francês, branco, feito a partir de uma casta Viti vinífera originária da região de Veneto, Itália. É um espumante, ou seja, fermentado na garrafa, por isso aquela rolha avantajada e a segurança do aramado em volta. Esse que tenho, o Zonin, tem o selo de Denominazione di Origine Controllata (DOC) de acordo com a classificação italiana. Tem um bom retrogosto, coloração palha, cristalino.

É uma boa pedida. O Prosecco sempre faz uma harmonização garantida. É fácil. Mas, nesse caso, as frutas do prato se casam perfeitamente com o vinho, um realçando o sabor do outro.

 

Deixe seu comentário